quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Não sou super

Ta faltando gente normal neste mundo. Hoje em dia todo mundo é super: super-legal, super-sexy, super-competente, super-inteligente, super-magra, super-mãe, super-mulher.
Até as crianças são aspirantes a super: super-ativas, super-dotadas, super-sei-lá-mais-o-quê.
Eu sou uma exceção a esta regra:
• Sou legal, mas nem sempre e nem super, somente na medida do meu possível e as vezes aquém da sua expectativa;
• Sou sexy muito de vez em quando e sem intenção, virar a cabeça dos homens não é meu ideal de vida;
• Sou competente sim, mas não pretendo carregar o mundo nas costas, também preciso de ajuda e gosto de ser carregada de vez em quando;
• Sou inteligente? Nem tanto, nem pouco, mas o suficiente pra saber que o que sei é muito, mas muito pouco, em relação ao que não sei;
• Magra não sou, mantenho um peso saudável, e como boa brasileira não tenho um bumbum que cabe num manequim 36;
• Não pretendo ser super-mãe, já me basta ser mãe  possível, mãe amorosa , mãe que erra e acerta e no outro dia começa tudo de novo.Mãe que se tornará se tornará desnecessária no futuro,  mas continuará vivendo;
• Ser super-mulher é ilusão. Mulher de verdade é aquela que faz suas escolhas, sem egoísmo mas sem abnegação total, que não se esquece de ser ela mesma, fazendo bem a si e por tabela aos outros.

Eu vivo num mundo real, mas não descarto a imaginação, o sentimento, a loucura, o sonho , nem me considero pronta.
Meu sonho de consumo não são 300 ml de silicone em cada seio, não quero aparentar 20 anos a menos do que tenho, um dia de ócio pra mim pode ser muito produtivo e sem culpa.
Gosto de quem me faz bem, mas exercito também o respeito e a tolerância porque sei que tenho meus momentos de ser chata e teimosa, não pretendo que me amem sempre.
Uso saltos e maquiagem, mas também gosto de chinelos, rabo-de- cavalo e cara lavada.
Você pode até me achar bonita, mas não se engane, eu tenho um lado escuro.
Num balanço geral creio que estou em superávit, pois não me detenho ao superficial e supérfluo. Minha meta é superpor as necessidades do ser acima do que esperam de mim, isto é, superar-me.
Não pretendo ser nada no superlativo. Ser feliz pra mim já está bom.

“Deixemos os títulos para a realeza, ser humano é muito mais nobre”.

Não sei quem escreveu esta frase, mas sei que disse TUDO.

2 comentários:

Marcia Lima Gomes disse...

Bel'issimo texto! Super legal mesmo! Vc estava super inspirada, hein?! (Desculpe a brincadeirinha... hehehehe).

LILIANE disse...

Que gostoso encontrar alguém que pensa como a gente...
E nesta aventura que é viver fico "super contente" de tê-la encontrado.
Muito bom poder refletir com você sobre coisas tão importantes da vida.
Amei o carinho que você demonstra ter pelas crianças.
Simplesmente apaixonante